Treinar em Jejum: Benefícios, Riscos e Impacto na Perda de Peso

Treinar em Jejum: Benefícios, Riscos e Impacto na Perda de Peso

Nos últimos anos, treinar em jejum tem vindo a estar cada vez mais na moda, no mundo dos praticantes de exercício físico, apresentado-se como uma ferramenta superior quando a finalidade é a perda de peso e de massa gorda.

Treinar em jejum, uma prática que envolve realizar exercícios após um período de jejum, está ganhando popularidade entre os entusiastas do fitness. Esta abordagem pode ajudar na queima de gordura e na perda de peso. No entanto, é essencial entender as vantagens, desvantagens, e a forma correta de realizar esses treinos para maximizar os benefícios e minimizar os riscos. Vamos explorar os efeitos de treinar em jejum e como fazê-lo de maneira segura e eficaz.

Existe concordância e discordância, mas no final interessa saber as vantagens e desvantagens de treinar em jejum.

O jejum é caracterizado pela ausência de ingestão de energia por ciclos prolongados que podem variar entre várias horas ou dias.

Geralmente, os praticantes deste método, realizam o treino de manhã após 8 a 12h de jejum nocturno, sem que aconteça o consumo de qualquer alimento que forneça energia dentro desse período.

Vantagens de Treinar em Jejum

Treinar em jejum pode oferecer vários benefícios, incluindo:

  • Queima de Gordura: Durante o jejum, o corpo utiliza as reservas de gordura como fonte de energia.
  • Melhora da Sensibilidade à Insulina: Pode ajudar a regular os níveis de insulina e açúcar no sangue.
  • Aumento da Produção de GH: Estimula a produção de hormônio do crescimento, favorecendo a queima de gordura.

Riscos e Desvantagens de Treinar em Jejum

Apesar dos benefícios, treinar em jejum também apresenta alguns riscos:

  • Hipoglicemia: Baixos níveis de açúcar no sangue podem causar tonturas e desmaios.
  • Perda de Massa Muscular: A falta de nutrientes pode levar à degradação muscular.
  • Redução de Desempenho: Pode haver uma queda na performance durante treinos intensos.

Dicas para Treinar em Jejum com Segurança

Para treinar em jejum de forma eficaz e segura, siga estas dicas:

  • Intensidade Moderada: Opte por exercícios de baixa a moderada intensidade para evitar a exaustão.
  • Hidrate-se Bem: Beba bastante água para manter o corpo hidratado.
  • Suplementação: Considere suplementos como BCAA para prevenir a perda de massa muscular.
  • Refeição Pós-Treino: Coma uma refeição balanceada rica em proteínas e carboidratos complexos após o treino.
treinar em jejum

Faz mal treinar em jejum?

O exercício aeróbico em jejum, também denominado como AEJ, é um método de treino explorado por muitas pessoas com a finalidade de emagrecer mais rápido.

Este exercício deve ser efectuado em baixa intensidade e habitualmente é feito em jejum, logo depois de acordar.

Este plano tem como princípio fazer com que o corpo utilize as reservas de gordura para gerar energia, visto que durante o jejum as reservas de glicose foram esgotadas.

Esse tipo de treino ainda está em estudo e é muito discutido entre os profissionais, pois pode gerar um desequilíbrio no organismo, como hipoglicemia (nível de açúcar no sangue muito baixo) ou desconforto, sem necessariamente existir emagrecimento.

Pode até acontecer a redução de proteínas e, consequentemente, a perda de massa muscular pode suceder.

Para desvendar essa questão, algumas pessoas preferem tomar algum tipo de suplementação, como o BCAA, que é um suplemento constituído por aminoácidos habilitados para prevenir a perda muscular, no entanto, isso pode desvalorizar o jejum.

Algumas desvantagens de treinar em jejum:

# Desmotivação durante os exercícios aeróbicos;
# Diminuição da performance no exercício;
# Desequilíbrio no organismo;
# Maior chance de desenvolver doenças;
# Enjoos;
# Desmaios;
# Tontura;
# Hipoglicemia; 
# Perda de massa muscular pelo aumento da quebra 
de proteínas, no caso de exercícios praticados em jejum com 
intensidade elevada.

Como treinar em jejum da maneira adequada?

A melhor forma de realizar um treino em jejum é fazer um exercício com intensidade entre baixa e moderada, já que treinos mais pesados e que exigem força requerem energia rápida, que geralmente vem dos hidratos de carbono — que estão em falta para quem está em jejum.

treinar

Muitas pessoas pensam que, se temos uma grande quantidade de tecido adiposo – ou seja, gordura – no corpo, é de lá que o organismo vai tirar energia para os treinos.

Contudo, o nosso corpo é mais eficiente em retirar essa energia do músculo, o que acarreta também em perda de massa magra. Com isto, pode até emagrecer, mas vai perder precisamente aquilo que deixa o seu corpo bonito.

Com uma alimentação variada e saudável antes do treino, desempenha melhor as suas funções ao longo do treino.

A refeição antes do treino é indispensável para uma boa performance desportiva.

Deve ser de simples digestão, pobre em lactose, e rica em glícidos complexos.

exercício físico

A ingestão de alimentos como flocos de aveia, pão de mistura, arroz, massa ou leguminosas possibilitam o armazenamento de glicogénio muscular e hepático, a manutenção da glicemia (níveis de açúcar no sangue) e, por conseguinte, um melhor nível de energia no decurso do treino.

Deve evitar a ingestão de alimentos ricos em gorduras, como pizzas, hambúrgueres ou batatas fritas, uma vez que a sua digestão a nível gástrico é tendencialmente lenta.

Uma hora antes de efectuar o exercício físico, coma alimentos de baixo índice glicêmico, como pão integral, fruta com aveia, batata doce e mandioca.

Fome e treinos extenuantes podem causar mal-estar, tonturas e desmaios.

Treinar em jejum pode ser uma estratégia eficaz para a perda de peso, mas é crucial fazê-lo com segurança. Avalie os benefícios e riscos, e considere seu nível de condicionamento físico e necessidades nutricionais. Consulte sempre um profissional de saúde antes de iniciar qualquer novo regime de treino.

4.6 / 5. Votos: 83

No votes so far! Be the first to rate this post.


AVISO: Nenhuma publicação desta página constitui prática médica e como tal não substitui o conselho e acompanhamento médico.
Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *