Os peixes e a quantidade de mercúrio

O mercúrio existe naturalmente no ambiente e também é resultante da poluição industrial. Deposita-se nos mares e os que contactam regularmente com este metal o vão acumulando nos seus tecidos.

Geralmente o mercúrio encontra-se em maior quantidade nos peixes de grande dimensão (peixes de água profunda e que vivem mais tempo) ao contrário dos pequenos como a sardinha, o carapau e o salmão.

O mercúrio é então absorvido pelos seres vivos que habitam as nossas águas, fazendo com que se deposite nos músculos dos peixes e marisco.

Os benefícios da ingestão de peixe são bastantes, por conterem nutrientes como proteínas e ácidos gordos ómega 3, por isso este alimento pode ser melhor aproveitado se soubermos optar por peixes com níveis baixos de .

O peixe é uma fonte de proteína de alta qualidade e que costuma ser de fácil acesso e não demasiado cara.

Nós absorvemos o mercúrio a partir de alimentos e não podemos expulsar já que nosso corpo não foi criado para isso. É depositado no tecido adiposo, no cérebro e ossos.

MERCÚRIO PODE CAUSAR PROBLEMAS NA GRAVIDEZ

O mercúrio existe sob várias formas na natureza, mas o peixe é a principal forma de exposição do homem ao metilmercúrio, presente de forma relativamente elevada no peixe-espada, robalo, cavala, tubarão e em certos peixes de zonas contaminadas.

O atum e a dourada possuem quantidades inferiores de mercúrio, segundo os especialistas.

mercúrio

A carga tóxica que o mercúrio gera no corpo é mais danoso para o sistema nervoso e nos fetos em desenvolvimento em mulheres grávidas, já que a substância passa através da placenta.

Uma questão que surge com frequência é qual é a quantidade de peixe que pode ser consumida no dia-a-dia de forma a se poder obter os seus benefícios nutricionais e ao mesmo tempo evitar os potenciais problemas relacionados com o mercúrio.

COMER PEIXE CONTAMINADO POR MERCÚRIO PODE PREJUDICAR O CORAÇÃO

Devido aos potenciais efeitos negativos que o mercúrio pode provocar na saúde, a Organização Mundial de Saúde estabeleceu limites seguros diários e semanais de ingestão de mercúrio.

A taxa de mercúrio no organismo está directamente associada ao risco de doença cardíaca, indica um estudo internacional que defende a limitação do consumo de certos peixes em que a concentração deste metal pode ser perigosa.

Este estudo, conduzido junto de centenas de pessoas em oito países europeus e em Israel, determina que os níveis de mercúrio encontrados no peixe anulam os efeitos dos ácidos gordos que resultam do seu consumo.

O estudo foi conduzido em 684 homens que foram vítimas de enfartes do miocárdio. Estes resultados foram comparados com 724 homens dos mesmos países, mas que não tinham sido vítimas de acidentes cardíacos.

mercúrio

Os peixes e a quantidade de mercúrio

Os resultados demonstram que os níveis de mercúrio encontrados entre os doentes que tinham sofrido um enfarte eram 15 por cento superiores aos níveis detectados nas pessoas sem problemas cardíacos.

PEIXE COM CONCENTRAÇÕES MAIS ELEVADAS DE MERCÚRIO

PEIXE                       CONTEÚDO DE MERCÚRIO

Cavala                                                                         0.730
Tubarão                                                                      0.979
Espadarte                                                                  0.995
Peixe-batata (Tilefish)                                                1.450

Os tipos de peixe magro (como o atum e a pescada) são praticamente isentos de gordura, o que os torna uma excelente escolha para quem deseja perder peso, e mesmo os peixes mais gordos contêm grandes quantidades de gorduras saudáveis em forma de ácidos gordos e ómega 3.

O óleo de peixe, que é rico em ómega 3, proporciona vários benefícios para a saúde, incluindo aumento da queima de gordura, diminuição do armazenamento de gordura, diminui a inflamação, alivia a depressão, estabiliza o estado de humor, diminui o risco de problemas cardiovasculares e de AVC´s.

Quais são os peixes com mais mercúrio

O imperador ou , o atum, o mero ou o robalo são variedades caracterizadas por acumular importantes quantidades de metais pesados. Entre outros, suas grandes dimensões serão um dos motivos.

Quais são os peixes com menos mercúrio

As sardinhas, as anchovas e a merluza são variedades caracterizadas por acumular menor quantidades de metais pesados.

mercúrio

Deve optar por peixes selvagens e NÃO de aquacultura, pois os peixes de viveiro podem conter químicos para promover um crescimento rápido.

Estes químicos prejudicam bastante a nossa saúde.

Os peixes e a quantidade de mercúrio

Os peixes e a quantidade de mercúrio
4.7 (93.33%) 15 votos

2 Comentários

  1. Marta Branco || 2 Fevereiro, 2017

    Todos os dias faço uma refeição de peixe.

  2. Gabriel || 2 Fevereiro, 2017

    Sou consumidor de peixe, mas tenho sempre em atenção este item.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*