A alimentação e o colesterol

Controlar os níveis de colesterol no sangue (colesterolemia), pode tornar-se uma meta difícil, quando as análises revelam que se encontra elevado e somos avisados do risco cardiovascular a que estamos sujeitos.

O consumo de grandes quantidades de gordura saturada vem muitas vezes associado a um reduzido consumo de fibras e gorduras insaturadas, e a um elevado consumo de açúcares simples. A fibra está presente na fruta, nos vegetais, nas leguminosas e nos cereais integrais, e não só auxilia no controlo do apetite e numa ingestão alimentar mais controlada qualitativamente e quantitativamente, como aumenta a excreção de colesterol a nível intestinal.

Procure aumentar o consumo de fibras. Aumentar a ingestão de fibras, facilita a eliminação de colesterol nas fezes. Os legumes, as hortaliças e as frutas fornecem o tipo de fibras mais úteis no tratamento da hipercolesterolemia: as fibras solúveis. Coma legumes e hortaliças, cozidos ou em saladas todos os dias e não se esqueça do prato da sopa, antes do almoço e do jantar.

À sobremesa prefira a fruta fresca.

Para conseguir reduzir o colesterol, deve:

– Aumentar o consumo de vegetais
– Garantir o consumo de 2 a 3 peças de fruta por dia
– Trocar os cereais e derivados de cereais refinados por versões integrais
– Aumentar o consumo semanal de peixes gordos e diminuir o consumo de carne, preferindo as carnes “brancas” e sempre retirando a pele e toda a gordura visível
– Incluir na alimentação sementes, frutos oleaginosos e leguminosas
– Preferir o azeite, óleos vegetais e cremes vegetais em detrimento da banha e manteiga
– Evitar a ingestão de produtos de charcutaria, de produtos de pastelaria e confeitaria, snacks doces e salgados e de outros produtos processados ricos em gordura saturada e trans e açúcares.

alimentação e o colesterol

Estas doenças são a principal causa de morte no mundo ocidental e também em Portugal. Estima-se que dois terços da população adulta portuguesa têm o colesterol elevado.

Para evitar problemas cardiovasculares, é necessário prevenir esta situação. Se, por um lado, existem factores de risco incontornáveis, como a hereditariedade e o aumento da idade, existem outros associados a estilo de vida e que dependem do controlo individual, como hábitos tabágicos, sedentarismo e má alimentação.

Por fim, faça exercício físico!

Vai protegê-lo das complicações da hipercolesterolemia e diminui o risco de uma trombose ou enfarte.

alimentação e o colesterol

A alimentação e o colesterol
4.7 (93.68%) 19 votos

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*